terça-feira, 2 de dezembro de 2014

O segredo de um rei - PARTE I

        Por um lado isolada de todos e por outro amada por muitos. Isabelle vivia em uma constante briga consigo mesmo, assim que se casou com o Rei Camargo o seu mundo virou de cabeça para baixo. Antes uma menina alegre vivendo em uma pequena cidadezinha afastada da cidade, mas rodeada de amigos. Agora o inverso, isolada por conta de seu marido que a proibia de sair se não fosse acompanhada pelo mesmo.
        Presa em um enorme castelo Isabelle desce as enormes escadas, queria pegar um ar do lado de fora, mas não atrás do castelo como fazia sempre. Isabelle queria experimentar um ar novo, o ar que só ela sentia quando saia das dependências do castelo.
        - Onde pensa que vai Rainha Isabelle? - rei Camargo chamou minha atenção quando os empregados abriram a porta de entrada para mim.
        - Pegar um ar. - disse se virando para o mesmo.
        - A Rainha sabe muito bem onde pegar um ar. - apontou para o outro lado do castelo onde eu costumava ir todos os dias.
        - Já cansei de ficar por lá, vendo todos os dias a mesma paisagem. Quero ver pessoas novas, respirar o ar que todos respiram. - comentei.
        Eu simplesmente era dez anos mais nova que ele, consequentemente a dez anos atrás em que eu não via meus pais. Assim que me casei rapidamente tivera que arrumar minhas poucas coisas e me mudar para o castelo. E por conta dessa diferença de idade meus pais não quiseram aceitar que eu me casasse, hoje compreendo o que eles queriam dizer, não que todos fizessem isso, pelo contrario, um Rei era assim, autoritário e engomadinho.
        - Vossa Majestade não está liberada para sair deste castelo. - ordenou Rei Camargo aos empregados, e então os mesmos fecharam a enorme porta.
        Ignorei o mandato de meu marido e assim que ele saiu insisti para que abrissem as portas, os mesmos negaram com a cabeça. Não iria insistir então subi as enormes escadas e segui até a biblioteca do castelo. De uma forma ou de outra eu teria que arrumar algo para fazer, era simplesmente todos os dias presa em um quarto observando todos apenas pela varanda.
        Vasculhando alguns livros daqui outros ali e quase desisti de procurar livros que realmente fizesse algum sentido para mim. Eram quase todos livros muito chatos e enjoativos.
        - A Majestade está aqui? - Rei Camargo veio conferir se eu estava realmente nas dependências do castelo.
        - Não irei fujir Majestade. - disse formalmente, assim como ele me tratava.
        - Assim espero. - olhou fixamente em meus olhos e por um instante o vi olhando fixamente para algo em cima da prateleira dos livros, mas ignorei.
        Me sentei ali e me coloquei a pensar em coisas que vieram de repente em minha mente, filhos, dez anos de casados e ele jamais me propôs isso. Era um sonho, ou melhor, era o sonho dos sonhos. Mas ele nunca tocou em assunto nenhum, talvez se nós tivéssemos um filho eu não teria passado tanto tempo sozinha presa aqui, ou teria amolecido aquele coração de pedra que só ele tem, eu só não entendia o porque.

12 comentários:

  1. Amo histórias com contextos reais, em castelos e tal haha A história parece ser bem interessante *-*

    Beijos
    http://perigosasgarotas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Você escreve muito bem! Gostei :)

    http://colorful-mushrooms.blogspot.com.br/

    Beijoos ;*

    ResponderExcluir
  3. Você escreve bem!! Ameiii! <3
    Beijos e fique com Deus!
    Batom de Framboesa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Giulia! Beijão!
      Fique com Deus também.

      Excluir
  4. ótimo texto, vc escreve super bem :

    http://gotasdecaffe.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

 



Design e programação por Ana Chamilete.
Proibido cópia e/ou reprodução.