sábado, 16 de agosto de 2014

Por que comigo? - Parte I

Havia acabado de terminar o ensino médio no Brasil, dezessete anos e minha tão sonhada faculdade de psicologia fora do país. Finalmente se tornaria realidade tudo aquilo...
- Tomara que você volte o mais rápido possível. – Minha mãe disse com lágrimas nos olhos.
- Eu volto e a senhora sabe disso. São apenas quatro anos vai passar rápido eu tenho certeza disso. Cuida da mamãe Clara. – dei um abraço em minha irmã mais nova.
Abracei minha mãe pela ultima vez e segui até o avião. Coloquei meus fones de ouvido, e abri minha bolsa tirando um álbum de fotos com a capa de várias cerejas. Como eu amava cerejas... Passei foto por foto lembrado de todos aqueles anos que vivi no Brasil, com minha família. Observei uma foto onde meu pai estava comigo, como eu sentia falta dele...
Assim que cheguei ao aeroporto fui logo procurar minhas malas, chamei um taxi e segui direto para o meu apartamento. Logo telefonei para minha mãe, antes que a mesma ficasse preocupada com toda a demora.
- Mãe?!
- Filha, como você está? Como está tudo por ai? – perguntou rapidamente.
- Calma mãe. – sorri ao ver o desespero dela – Estou ótima, e com saudades já... Acabei de chegar ao apartamento.
- Estamos com saudades de você também.
- Mãe estou muito cansada, vou arrumar as malas aqui e me deitar um pouco.
- Está bem filha.
E assim o telefone desligou, estava sozinha apenas ouvindo o meu próprio suspiro. Coloquei minhas malas na sala, e corri para me deitar um pouco.
Acordei logo pela manhã, tirei na mala um vestido soltinho e tomei meu café na lanchonete da esquina e logo segui para a faculdade para ter mais informações.
- Olá posso ajuda-la? – perguntou uma moça gentil com um sotaque adorável.
- Ah sim. Gostaria de saber quando começa as aulas de psicologia. – arranhei meu inglês.
- Só um minuto – disse quando uma olhada em alguns papeis – Daqui quinze dias. – sorriu.
                - Grata. – agradeci pegando o papel de materiais necessários.
                Sai pelas ruas para conhecer melhor Texas, que lugar maravilhoso ultrapassou todas as minhas expectativas. Estava um pouco frio, o que me fez arrepender de ter vindo de vestido, mas nada de mais. Passei em um mercado para ver se encontrava minhas queridas cerejinhas. Depois de tanto procurar encontrei-as e levei dois pacotes.
               Assim que cheguei a casa coloquei um pacote de cerejas na geladeira e lavei um deles e coloquei em um potinho para que eu pudesse comer enquanto arrumava minhas malas.
               Abri uma das malas e avistei um envelope, que eu não havia deixado ali. Então o abri com cuidado.

  - Eu estava com esse conto no meu computador a tempos, então resolvi edita-lo para vocês. E vou dividi-lo em três ou quatro partes tudo bem?! Espero que gostem.

11 comentários:

  1. Ja Quero Maiis...rs...Mim Passa Um Pouco Dessa Tua Criattividade Ae ..rs
    ;) :D

    ResponderExcluir
  2. mirella vasconcelos18 de agosto de 2014 18:25

    +++++++++++++++++++++++

    ResponderExcluir
  3. mirella vasconcelos18 de agosto de 2014 18:28

    Amando posta ++++++++++

    ResponderExcluir
  4. Se o começo,já teve um toco muito bom de sentimentalismo,mal espero pra ler o resto.
    ADoreiiii!

    ResponderExcluir
  5. Oi, tudo bem?
    Adorei o começo da sua história e já quero saber o que vai acontecer com sua personagem! Ao contrário dela, eu não gosto de cerejas!
    Beijos... Samantha Culceag.
    Só pra Menores

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii! Tudo sim. Haha' Obrigaaada Vida.
      Beeijos :*

      Excluir
  6. Se o começo, já é assim,imagina no decorrer da história?
    Adorando!!!
    Ñ vejo a hora de ler a continuação.

    ResponderExcluir

 



Design e programação por Ana Chamilete.
Proibido cópia e/ou reprodução.